O mercado de fundos do Fed durante a crise financeira de 2007-09 -Liberty Street Economics

cupom com desconto - o melhor site de cupom de desconto cupomcomdesconto.com.br


O mercado de fundos federais dos Estados Unidos desempenhou um papel central no sistema financeiro durante a crise de 2007-09, porque foi o mercado que forneceu aos bancos liquidez imediata, mesmo no final do dia. Entretanto, interpretar as mudanças nas taxas dos fundos federais é notoriamente difícil, pois muitos dos fatores econômicos por trás das taxas estão mudando simultaneamente. Nesta postagem, destaco os resultados de um documento de trabalho que desvenda o impacto desses motores econômicos e mede seus respectivos efeitos no mercado usando dados de um período de amostra anterior e durante a crise financeira. A análise mostra que o spread entre os fed funds vendidos e comprados aumentou devido aos aumentos no risco de contraparte. Além disso, houve um grande aumento na oferta de dinheiro neste mercado, sugerindo que os bancos viam os fundos federais como um lugar relativamente seguro para investir dinheiro em um ambiente de crise.


O que aconteceu com as taxas e quantidades dos fundos federais durante a crise de 2007-09?

O mercado de fundos federais é um laboratório ideal para estudar questões de liquidez que foram fundamentais para a crise de 2007-09. Para ilustrar as principais forças econômicas em jogo durante a crise, examino as taxas diárias e as quantidades de fundos federais comprados e vendidos, bem como o spread entre essas duas taxas.

Os dados usados ​​na análise são as vendas e compras de fed funds de três grandes bancos que foram considerados grandes players no mercado de fed funds de janeiro de 2006 a dezembro de 2008. É importante ressaltar que os dados cobrem os períodos pré-crise e crise e permitem me a construir taxas médias e quantidades totais de fundos federados comprados e vendidos.

Leia Também  O estado do crescimento da oferta de moeda desde o início do COVID-19 Panic

Adequando-se ao seu status de intermediários, esses três bancos venderam consistentemente fundos federais a taxas mais altas do que as que os compraram. Esse spread intermediário foi em média de 11 pontos base no período pré-crise, de janeiro de 2006 a julho de 2007. A partir de agosto de 2007, esse spread salta para 26 pontos base, um aumento de 15 pontos. Finalmente, o spread dispara até 118 pontos base após a falência do Lehman Brothers em setembro de 2008. Essa evolução no spread intermediário é ilustrada no gráfico abaixo.


Surpreendentemente, o montante total de recursos intermediados pelos três bancos aumenta com o início da crise, apesar dos aumentos no spread do intermediário (ver gráfico abaixo). Entre o início da crise e a falência do Lehman, o valor médio total diário intermediado é 42% maior que o valor do período pré-crise (US $ 2,7 bilhões contra US $ 1,9 bilhão). Mesmo após a falência do Lehman e as subsequentes interrupções no sistema financeiro geral, o montante total de fundos federados intermediados pelos três bancos é 11 por cento maior do que no período pré-crise.


O mercado de fundos Fed durante a crise financeira de 2007-09

cupom com desconto - o melhor site de cupom de desconto cupomcomdesconto.com.br

Como interpretamos essas mudanças nas taxas e quantidades?

Para entender melhor os vários fatores por trás desses movimentos em taxas e quantidades, desenvolvo um modelo do mercado de fundos federais e o levo aos dados. Acho que o modelo se ajusta bem aos dados e os parâmetros estimados têm duas implicações principais. Em primeiro lugar, há um aumento constante nas crenças dos participantes do mercado sobre a probabilidade de inadimplência dos bancos que tomam empréstimos no mercado de fundos federais. Embora seja sabido que as preocupações dos participantes do mercado com a inadimplência aumentaram com a crise, esta análise é capaz de estimar com precisão esse risco. O modelo implica que, com o início da crise em agosto de 2007, a probabilidade esperada de inadimplência de um banco tomador aumenta de 0,043% para 0,333% e então salta para 2,24% após a falência do Lehman Brothers.

Leia Também  O lado do débito das agências de classificação de crédito - The Gold Standard

Em segundo lugar, as estimativas de parâmetros implicam que a oferta de fundos federais mudou durante a crise. Em particular, houve grandes aumentos na oferta de fundos federais, tanto a partir do verão de 2007, quando a crise começou, quanto após a falência do Lehman. Esse resultado é digno de nota, devido à crença predominante de que a oferta de fed funds diminuiu com a crise. Em vez disso, os parâmetros estimados implicam que as opções dos bancos de investir dinheiro em outras áreas do sistema financeiro se tornaram cada vez menos atraentes ao longo da crise. Isso está de acordo com o que se sabe sobre o colapso de outros mercados financeiros, como o congelamento do mercado de papéis comerciais lastreados em ativos no final de 2007.

O modelo mostra então que o aumento na oferta de fed funds foi particularmente crucial para a vitalidade do mercado de fed funds. Ele prevê que, se a oferta de fed funds não tivesse aumentado, o aumento da inadimplência esperada teria causado o congelamento do mercado de fed funds.

O que isso significa para os participantes do mercado e formuladores de políticas?

Existem duas lições dessa análise. Em primeiro lugar, os formuladores de políticas devem estar cientes de que o mercado de fundos federais é suscetível a pequenas mudanças na probabilidade esperada de inadimplência. Portanto, eventos adversos futuros que tornem os bancos mais propensos a inadimplência provavelmente terão grandes efeitos negativos sobre esse mercado. Em segundo lugar, o mercado de fundos federais é considerado um lugar seguro para investir dinheiro, em relação aos outros mercados monetários, durante uma crise. Dado um choque adverso geral para o sistema financeiro, os formuladores de políticas podem esperar que as instituições depositárias direcionem seus investimentos em dinheiro para o mercado de fundos federais. Embora o mercado de fed funds tenha mudado um pouco desde a crise de 2007-09, ele continua sendo uma parte importante do sistema financeiro e, portanto, esses resultados ainda são relevantes.

Leia Também  As fortunas em declínio dos jovens - Blog do FMI


Adam CopelandAdam Copeland é vice-presidente assistente do Grupo de Pesquisa e Estatística do Federal Reserve Bank de Nova York.

Como citar esta postagem:

Adam Copeland, “The Fed Funds Market during the 2007-09 Financial Crisis,” Federal Reserve Bank of New York Liberty Street Economics, 10 de novembro de 2020, https://libertystreeteconomics.newyorkfed.org/2020/11/the-fed-funds-market-during-the-2007-09-financial-crisis.html.


aviso Legal

As opiniões expressas nesta postagem são de responsabilidade do autor e não refletem necessariamente a posição do Federal Reserve Bank de Nova York ou do Federal Reserve System. Quaisquer erros ou omissões são de responsabilidade do autor.

cupom com desconto - o melhor site de cupom de desconto cupomcomdesconto.com.br